Sindigráficos participa de reunião extraordinária do Conselho Nacional da Força Sindical

Na manhã desta quinta-feira, 28/9, o Sindigráficos, representado pelos diretores Aurelino Pereira Silva, João Lopes da Costa e Cleberson Gonçalves Machado, participou da reunião extraordinária do Conselho Nacional da Força Sindical, que aconteceu em São Paulo.

Na ocasião, foram abordados alguns temas atuais do movimento sindical, como o financiamento sindical, as reformas da Previdência e Trabalhista, a conjuntura política e econômica do país, as campanhas salariais do segundo semestre de 2017, entre outros assuntos.

Os sindicalistas presentes avaliaram que o governo também será prejudicado com as reformas, pois deixará de arrecadar INSS, FGTS, entre outros impostos além do trabalhador autônomo pagar somente 10% do contrato de trabalho.  Com isso, os recursos para pagar aposentadoria e custeios básicos dos trabalhadores diminuirão.

O fato de não existir Medida Provisória para o custeio dos sindicatos também foi um ponto discutido na reunião. Para os presentes, o governo não tem força no Congresso para aprovar tal medida, visto que será impossível derrubar a nova lei trabalhista. “Não é importante para o Congresso aprovar uma MP antes da nova legislatura entrar em vigor”, avaliou o diretor Aurelino. “Os sindicatos devem realizar um trabalho de campo para associar os trabalhadores e fortalecer a categoria. Trabalhador representado é trabalhador com direito garantido”, afirmou.

Na próxima semana, o presidente da Força Sindical, Paulinho da Força, e as demais centrais, com exceção da CUT, vão se reunir com o presidente Michel Temer para discutir um projeto de lei que vise diminuir o impacto da Reforma Trabalhista. “Apenas um PL poderá amenizar, não somente a questão do custeio, mas outros aspectos que vão afetar diretamente o trabalhador que será o maior prejudicado”, finalizou o diretor.

GALERIA