Com apoio do Sindigráficos, trabalhadores da Donnelley realizam nova manifestação

Na manhã dessa quarta-feira, 3/4, os trabalhadores da gráfica RR Donnelley, com o apoio do Sindigráficos, realizaram nova manifestação da porta da empresa na unidade Osasco. Os manifestantes demonstraram sua indignação com o anúncio de falência da empresa, que recorreu ao expediente de simplesmente fechar as portas alegando sequer ter condições para pagar as verbas rescisórias dos trabalhadores.

A manifestação de hoje contou com a participação de representantes do Sindicato dos Trabalhadores da USP. Bruno Gilga, diretor da entidade, esteve presente para demonstrar a solidariedade da entidade sindical da Universidade aos companheiros e companheiras gráficos.

O ato contou com a presença de diversos veículos de comunicação da grande imprensa, como SBT, Rede TV, Record, diversas rádios e jornais. Diante da presença massiva dos jornalistas, o Sindigráficos cobrou dos veículos um enfoque diferente para a manifestação. “Os veículos de imprensa precisam olhar a questão para além do ENEM, para enxergarem o grave drama humano e social dos trabalhadores, que estão passando necessidades. São centenas de famílias deixadas na mão sem aviso prévio nem propostas concretas para receber sequer aquilo a que têm direito”, destacou Álvaro Ferreira da Costa, presidente do Sindigráficos de Barueri, Osasco e Região.

Sem definições claras ou prazos de andamento

Em reunião com representantes da RR Donnelley, o Sindigráficos fez várias cobranças. A entidade quer que a empresa defina prazos e trâmites claros para iniciar a regularização das verbas rescisórias. “Os representantes da empresa ainda não apresentaram uma proposta concreta para início da regularização das verbas rescisórias. Nem mesmo a liberação do FGTS, que pode ser feito em paralelo às outras negociações, a empresa se dispôs a fazer” ressalta Álvaro. Segundo ele, até agora a empresa disse apenas que estava escalando duas pessoas da área de Recursos Humanos para montarem uma comissão que daria andamento aos trâmites. “Mas isso é muito vago, parece apenas enrolação. A Donnelley de fato não apresentou nada de concreto”, pondera.

O Sindicato exige da empresa um cronograma de liberação do FGTS, do Seguro Desemprego — com baixa na Carteira de Trabalho — e os documentos rescisórios. A lista de reivindicações apresentada pelo Sindigráficos em defesa dos trabalhadores conta também com a apresentação imediata de uma proposta de pagamento das verbas rescisórias, da multa de 40% do FGTS; além da manutenção do convênio médico por um período negociado, entre outros.

Outro tema importante que aguarda solução é a autorização dos trabalhadores para retirada de pertences pessoais que a empresa reteve. Segundo o Sindicato, o representante da empresa se comprometeu a liberar até amanhã o acesso de funcionários da unidade de Osasco e, em seguida, o acesso aos trabalhadores de Barueri. 

Ontem, 2/4, os gráficos paralisaram a Rodovia Anhanguera, na altura do km 18, em Osasco, em protesto contra o fechamento repentino e sem negociação da empresa. O Sindigráficos prevê mais manifestações na porta da RR Donnelley no decorrer da semana!

GALERIA